Os Efeitos Da Crise Econômica No Seu Orçamento

Diante de mais um fato político que mexeu com o mercado financeiro HOJE, embora a bolsa e o dólar tenham voltado aos patamares de antes do ocorrido, fiz este artigo.

Com ele, espero poder ajudar a cada um que estiver se sentindo “perdido” nesta “selva”, que se tornou a economia nacional. Digo isto, porque as famílias estão “matando vários leões” por dia para atravessarem este momento que tem se prolongado demais.

Uma primeira coisa que vou lhe alertar é que sair vendendo coisas a fim de levantar algum extra para saldar dívidas ou sair cortando gastos isolados para ganhar uma “sobrevida” financeira, irá sugar as suas energias! E decididamente não é o melhor caminho a seguir. Todas estas ações são importantes e muito provavelmente lhe ajudarão a sair deste momento crítico. Contudo, elas devem fazer parte de um processo de recuperação financeira no médio ou longo prazo, dependendo do nível em que suas Finanças se encontram.

A seguir, falarei de 3 efeitos que uma crise econômica causa em nossas vidas. Assim, você poderá identificar aquele que melhor expressa o seu sentimento e aí sim elaborar o seu plano de ajustes das finanças. Depois você me diga nos comentários se ficou mais claro por onde começará. Deixe também a sua pergunta, caso tenha alguma dúvida. Eu responderei pessoalmente a todas !

PERDA DO PODER AQUISITIVO

Como economista, sinto-me na obrigação de falar deste efeito real que é a perda do poder de compra das pessoas.

Traduzindo para o que vivemos no dia a dia, o mesmo montante que antes comprava 10 produtos, passa a comprar 8, 5, 3, … Isso é fácil de perceber quando vamos fazer as compras no mercado e vemos que as sacolas diminuíram ou estão mais vazias. Ou, as pessoas passam a gastar mais para comprar a mesma quantidade dos mesmos produtos.

E não precisa ser especialista no assunto para saber que alguma coisa deverá ser feita. Caso contrário, a consequência será uma dívida dependendo do quanto seu “colchão de reservas” suportará.

Muitas são as ações a serem adotadas, mas neste artigo não falarei delas, pois o tema central é você perceber qual efeito está vivendo neste momento.

Faço isto, pois com os meus clientes vejo o quanto a falta desta visão inicial, acaba sendo determinante para enfraquecer as ações adotadas e na sequência agravar o desânimo que invade as pessoas e contamina a todos, tornando-os míopes e reféns de um círculo vicioso de reclamações, lamentações, desânimo, mal estar e não precisa ser médico para saber onde isso tudo vai estourar – na saúde das pessoas que adoecerão e passarão a tomar remédios para contingenciar o caos que se instalará em suas vidas.

Então, este primeiro efeito, talvez ainda esteja brando ou possa ter sido pequeno neste momento em que lê este artigo, mas é o mais fácil de identificar e entender. Os outros dois que selecionei, estão relacionados ao comportamento, a forma como cada um encara os problemas ocasionados na sua vida financeira. E o que vejo é o quanto o ser racional homem tem dificuldade de entender, pois traz à tona as emoções, a forma como cada um processa a dinâmica da ecassez em suas vidas.

DESESPERO GERAL

Este efeito é terrível e se espalha a cada conversa no trabalho, no bar, no futebol, na academia, no salão de beleza, nas reuniões em família, etc.

É impressionante como se alastram as falas “apocalípticas”, acerta de uma situação delicada. As pessoas passam a discursar todas sobre a ótica negativa da escassez.

Imagino que neste momento, você terá vontade de parar de ler este artigo e desabafar, dizendo até mesmo em voz alta: “Mas não é exatamente este o sentimento que devemos ter diante de fatos tão comprometedores das nossas vidas ? Em que país você vive ? O que você sugerirá ? “Fazer de conta”, que está tudo bem ? Essa é boa !”

Entendo perfeitamente se você teve este impulso e falou coisas deste tipo; afinal, estamos diante de um momento crítico: estabelecimentos comerciais decretam falência, outros reduzem sua atuação para estancar as despesas fixas diante da redução do faturamento, pais e mães entram para a estatística dos desempregados, e até os serviços e produtos de saúde, educação e alimentação são afetados na qualidade.

Mas diga-me, o que este movimento de desespero e propagação do sentimento de revolta irá ajudar ? Se me mostrar que é o caminho para sair da situação indesejável, eu mudarei a minha opinião. Contudo, até o momento, o que aprendi diante do desemprego que já vivi por 3 vezes e atendendo aos clientes de finanças pessoais é que buscar alternativas práticas, continua sendo a saída. E que estes são os melhores momentos para inovar, saindo da zona de conforto.

Agora, o que vejo é que em geral o brasileiro se diz “que não desiste nunca”, mas na verdade o discurso está muito mais da boca para fora. Observe no seu círculo de amigos senão tem aqueles que em situação financeira complicada, continua bebendo exageradamente nos finais de semana e muitos até durante a semana. Outros, querem ostentar nas escolas dos filhos e continuam mantendo o seu carro caro e muitos até trocaram o carro este ano por modelo mais novo. Ah, e as viagens para a Disney, muitos já postaram as fotos, não é mesmo ? Você pode estar surpreso com a quantidade de amigos que estão exatamente vivendo a crise deste jeito “inadequado”.

E aí, reduzir as despesas com alimentação, deixar de pagar aluguel ou a escola dos filhos, atrasar o condomínio e outras manobras ditas ajustes no padrão de vida, vamos combinar que é como diz o ditado “para inglês ver”. Falas para na hora do discurso “inflamado dizer em bom e alto tom: “eu estou fazendo a minha parte, mas o problema é que a corrupção, o partido A, a empresa ABC, o meu chefe,…,” e por aí vai num mar de lamúrias que não tem fim.

Percebe que assim exaltam os problemas e não as soluções ? Que poderia cada um com o seu conhecimento, habilidade, buscar formas de parceria viabilizando novos formatos para os negócios ou criando novos.

Ou até mesmo, alguma atividade nos finais de semana para complementar a renda ?

Se ainda não experimentou, faça este exercício de colocar o cérebro à serviço da transformação e terá surpresas incríveis, a começar pelo seu astral que passará a emanar positividade e atrairá mais e mais pessoas nesta mesma vibe !

O SENSO COMUM DE QUE NADA ADIANTA FAZER

Toda vez que vejo alguém se isentando da responsabilidade de fazer algo para melhorar a sua situação financeira, questiono internamente: se você não encontra motivo para mudar, acredita que alguém encontrará para você, como num passe de mágica ?

Tenho 25 anos no mercado corporativo e há 1 ano estou como autônoma. Foi uma adaptação e permitiu-me amadurecer um projeto, através do marketing digital. Fiz uma formação que expandiu as minhas fronteiras, quando conheci os profissionais referências deste meio e fui anotando as vivências que têm e compartilham.

Não é um mundo mágico, mas a fórmula geral é: aprenda, aplique, meça os resultados e ajuste para gerar melhores resultados e assim reproduza o processo para gerir os seus negócios. E a constância e o quanto as suas ações estarão comprometidas com o seu propósito, trarão clareza ao seu trabalho e a vida como um todo.

Percebe que sair deste sentimento de impotência, será a mola mestra que tirará você da inércia ? Entrando em movimento, estará indo em encontro aos meios para sair do nível financeiro desfavorável e pegará a rota que o levará para o próximo nível do padrão de vida traçado por você.

SEJA VOCÊ O AUTOR DA SUA VIDA ! Esta frase não é da minha autoria e estou deparando-me com ela em alguns dos textos que seleciono para ler. Percebe que ela tem uma força tão grande, quanto a sua simplicidade e que ao mesmo tempo é de uma profundidade que provoca e é capaz de tirar a cada um da “vidinha pacata” e “covarde” que possa estar vivendo nos últimos anos. Anos em que teve facilidade em tocar os seus projetos ou a sua vida de forma confortável, mas que também nada criou de novo e que o trouxe até aqui: uns endividados, outros ainda assustados, doentes, embriagados nas palavras engessadas que os impedem de agir e assim os afundam cada vez mais.

E AGORA, VOCÊ SABE EXATAMENTE QUAL EFEITO VOCÊ ESTÁ DE FATO VIVENDO ?

Percebeu que o 2º e 3º efeitos, sendo eliminados no início, facilitarão a sua gestão financeira. Isso porque, estes são capazes de mudar hábitos e sentimentos arraigados que se traduzem nos limitantes da sua vida ?
Veja que interessante, pessoas que são de bem com a vida, não se dizem com problemas financeiros. Os motivos, em geral, são:

1- Vivem adaptados ao que tem e não sentem falta de nada que justifique mudar.

2- Estão atentos e quando as coisas sinalizam uma mudança que não os agradará, ajustam e daqui a um tempo definido, tomam o curso desejado.

3- Têm liberdade financeira e possuem reservas que complementam alguma interferência na renda, em cenários econômicos de turbulência.

Aquelas que só reclamam, vivem insatisfeitas ou fingem que “deixam a vida as levar” e sempre estão reclamando da sua vida financeira.

Agora, deixe abaixo nos comentários o que este conteúdo trouxe de alerta para a sua vida e como você está se sentindo após a leitura. Assim como, alguma dúvida que queira tirar com relação aos ajustes nas suas finanças.

Sua participação é muito importante, para que possa elaborar mais conteúdo para te auxiliar na organização das suas finanças.

Obrigada.

SUCESSO & PROSPERIDADE !
Kátia Avelar

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Para receber o meu conteúdo GRATUITO, cadastre o seu e-mail !

Kátia Avelar

Consultora e Mestre. Estou aqui para ajudar você a organizar as suas finanças pessoais. Eu te orientarei para que ajuste as sua vida financeira, conforme o momento e planeje a estrutura dos seus sonhos !

Website: http://katiaavelar.com.br

2 Comentários

  1. Vilma Melo

    Kátia, feliz de acompanhar você e participar deste momento especial que é o lançamento do seu blog. Você escreve muito bem e tem uma ótima didática. Gratidão!

    • Olá, Vilma !
      Eu que agradeço a sua participação no “Detox dos Gastos”, na comunidade do Face, lives do Periscope e agora aqui no Blog !
      Fico muito feliz em poder compartilhar esses conteúdos, pois o meu maior bem é este – o conhecimento acumulado no mercado corporativo e reciclados no meio acadêmico sempre !
      O meu propósito é ajudar as pessoas a organizarem as suas finanças e atingirem o perfil de investidor; aquele que o dinheiro trabalhe para elas.
      Como diz T. Harv Eker “Os ricos consideram cada real que possuem uma semente a ser plantada para render outros 100, que podem ser replantados para render outros 1.000 e assim por diante.”
      Vamos em frente !
      Sucesso & Prosperidade !
      Kátia Avelar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *